Conheça as pragas virtuais nas redes sociais

Pragas virtuais nas redes sociais

O alto número de participantes nas redes sociais associado à curiosidade, facilita muito a ação de oportunistas e atrai olhares dos criminosos do cyber espaço. As pragas virtuais nas redes sociais ganham cada vez mais espaço e facilidade de se propagar.

A equipe da TrustSign, empresa especializada em certificação digital já identificou diferentes modalidade de phishing circulando pelas redes sociais como Facebook e Twitter. E em conclusão, alertam para que o usuário tome algumas precauções para evitar ser vítima de golpes virtuais.

“O envio de links com conteúdos falsos são a isca para que o internauta caia em uma fraude”, explica Marisa Viana, gerente comercial das TrustSign. Todavia, os riscos são dos mais simples, como usar o nome de um conhecido para divulgar links maliciosos e roubar senhas de e-mail. Até a outros mais sofisticados, como o envio de softwares que permitem ao criminoso ter acesso aos dados do computador”, explica a executiva.

Conheça as pragas virtuais nas redes sociais
Atenção às pragas virtuais nas redes sociais

Ela ainda ressalta que existem estratégias muito bem elaboradas, geralmente voltadas à obtenção de dados empresariais, que se utilizam de credenciais válidas para cruzar dados como documentos confidenciais e informações contidas em redes de e-mails, entre outros. “Muitas vezes, esse tipo de crime acontece sem que fique nenhum rastro do autor”, diz. Por fim, Marisa também dá algumas orientações para proteção de dados no uso das redes sociais.

Como você pode proteger-se das pragas virtuais nas redes sociais

  1. Em primeiro lugar, não clicar nos links recebidos através de mensagens particulares ou deixados em posts. Se necessário, parar o mouse sobre o link e reparar se a descrição da URL é a mesma que aparece ao deixar o ponteiro do mouse sobre esse;
  2. Não abrir mensagens nem posts de desconhecidos;
  3. Sempre atualizar o sistema operacional do computador, bem como os softwares nele instalados;
  4. Manter um antivírus sempre atualizado e executá-lo sempre que receber arquivos – também é imprescindível escanear a unidade de disco rígido do computador ao menos duas vezes por semana;
  5. Ter um bom firewall pessoal instalado;
  6. Lembrar que a curiosidade é seguida sempre de um risco, o qual pode ser seguido de impactos financeiros e a sua privacidade.

Comentários estão fechados.